As más condições de vicinais e pontes nos municípios de Iracema, Cantá, Mucajaí e São João da Baliza, localizados nas regiões Centro-Sul, Centro-Leste, Centro-Oeste e Sul de Roraima, têm causado diversos transtornos aos moradores. Por conta disso, o deputado estadual Renato Silva (Republicanos) apresentou ao Governo do Estado oito indicações pedindo a recuperação destas vias de acesso.

Só no município de Iracema, foram quatro indicações. As de nº 657/19, 658/19 e 659/19 pedem a imediata recuperação das estradas vicinais 01, 02 e 05, localizadas na Vila Campos Novos, que se encontram danificadas, prejudicando o acesso pela mesmas e ocasionando contratempos e prejuízos aos seus usuários.

Ainda na Vila Campos Novos, em Iracema, o parlamentar também pediu, por meio da indicação nº 660/19, a imediata reconstrução da ponte de madeira localizada na vicinal 10, que desabou por completo, prejudicando além do deslocamento regular, também o escoamento dos insumos produzidos pelos produtores da aludida localidade.

No município de Mucajaí, a indicação nº 627/19 determina a imediata reconstrução da ponte localizada na vicinal 21, quilometro 15 da Vila da Penha, que também desabou por completo. A ponte se encontra intransitável, oferecendo riscos para os moradores da região que não têm outras escolhas a não ser atravessar a qualquer custo.

No município do Cantá, a indicação nº 630/19 solicita que o Governo faça a reconstrução imediata da ponte de madeira localizada na Confiança 3, vicinal 08. Conforme o documento, o atual estado da ponte prejudica além do deslocamento regular também o escoamento dos insumos produzidos pelos produtores da aludida localidade.

Já em São João da Baliza, a indicação nº 713/19 pede providências urgentes na recuperação da estrada vicinal 27, enquanto a de nº 714/19 solicita imediata reconstrução da ponte de madeira situada entre os quilômetros 7 e 8 da mesma estrada.

Para Renato Silva, a reconstrução das pontes e as melhorias das vicinais no interior são fundamentais para a melhoria da mobilidade da população.

“Tem que ser feitas as recuperações para permitir a trafegabilidade dos produtores no escoamento dos seus insumos, além dos estudantes que estão sem condições de irem às aulas por conta da impossibilidade de deslocamento até as escolas”, destacou.